»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»
 
ESPECIAIS
Materiais de construção: vendas crescem
Vendas do varejo de material de construção crescem 10% em março


Reportagem: Divulgação
Fotos:
Tamanho da fonte:
 

Desempenho do setor no primeiro trimestre de 2017 foi 4% superior ao mesmo período do ano passado. Nos últimos 12 meses, segmento tem retração de 5%

As vendas no varejo de material de construção cresceram 10% no mês de março, na comparação com fevereiro. Com relação à março do ano passado, o desempenho foi 12% superior. Os dados são da Pesquisa Tracking mensal da Anamaco, que entrevistou 530 lojistas entre os dias 28 a 31 de março.

De acordo com o relatório, no primeiro trimestre do ano, o setor apresenta crescimento de 4% sobre o mesmo período do ano passado. “Nos últimos 12 meses, o desempenho é negativo de 5%, mas os resultados vem indicando que estamos iniciando uma recuperação, depois de dois anos super difíceis, o que nos dá a certeza de que estamos no caminho certo para retomar o crescimento”, declara Cláudio Conz, presidente da Anamaco.

Segundo ele, com o início da Feicon Batimat, principal evento do setor no ano, que acontece de 04 a 08 de abril no São Paulo Expo, o ano só tende a melhorar para o setor. “Mais de 60 mil lojistas de todo o país devem visitar o evento, que é a principal vitrine do nosso segmento, com mais de 2 mil lançamentos anualmente. A antecipação de negócios gerada na feira esse ano deve superar os R$ 500 milhões, ajudando a movimentar ainda mais a nossa cadeia produtiva”, explica.

De acordo com o a pesquisa da Anamaco, todas as regiões apresentaram resultados favoráveis em março, comparado com o mês de fevereiro. “Com o fim do período de matrículas escolares e de pagamento de impostos como o IPVA, as pessoas voltam a focar seus esforços na reforma da casa. Além disso, a previsão é que em abril saia o primeiro edital do Cartão Reforma, de R$ 100 milhões, iniciando em maio a distribuição na primeira cidade, que será Caruaru, no Ceará. Depois disso, será um edital por mês, até atingir o teto de R$ 1 bilhão em 2017. Isso deve ter um impacto muito positivo no nosso setor, e a nossa previsão é de fechar o ano com crescimento de 5% sobre o ano passado, recuperando as perdas de 2016”, completa o presidente da Anamaco.

Apesar dos números positivos em março, diminuiu o otimismo do setor com relação às ações do Governo nos próximos meses (de 54% para 45%). Já 37% dos entrevistados afirmou que pretende fazer novos investimentos em 2017 e diminuiu de 16% para 13% a intenção de contratar novos funcionários já no mês de maio.

Os lojistas também esperam que o setor recue um pouco no mês de abril. “Março foi um mês com muito mais dias úteis do que fevereiro, e como fevereiro sempre é um mês muito ruim, a probabilidade é de termos um desempenho mais discreto nos mês que se inicia”, finaliza Conz.

Sobre a Anamaco

A Anamaco - Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção - é uma entidade de classe, sem fins lucrativos, que funciona como interface entre os órgãos governamentais e as Acomacs e Fecomacs, demais entidades, fabricantes e comerciantes de material de construção. Em 2017, a entidade comemora 53 anos de fundação de seu sistema associativista.

O nosso papel é desenvolver ações junto ao poder público apresentando sugestões e projetos que têm por objetivo aumentar as vendas de material de construção, promovendo o desenvolvimento do setor e do país como um todo. A Anamaco também promove discussões em torno de assuntos que podem interferir diretamente na cadeia produtiva da Construção, como questões ligadas à tributação, projetos de lei etc.

Com cerca de 148 mil lojas em todo o país (incluindo 136.868 lojas varejistas e mais de 12 mil lojas atacadistas), o setor de material de construção é parte integrante do complexo denominado de “ConstruBusiness”, que representa 9,1% do PIB brasileiro. Cada R$1 produzido na construção gera R$ 1,88 na produção do país. As atividades da cadeia ocuparam 11,3 milhões de pessoas em todo o país em 2014, sendo que comércio e serviços correspondem a 16,2% desse total. A cadeia da construção é o 4º maior gerador de empregos do país e remunera seus trabalhadores 11,7% mais do que os outros setores da economia. Em termos reais, o valor adicionado pelo comércio de material de construção cresceu a uma taxa de 8,5% ao ano entre 2007 e 2014, e o emprego expandiu-se a um ritmo de 6,5% ao ano.

Data: 2/4/2017



 
 
Cadastre-se para receber o boletim Prismanet
 
Nº 58 AGOSTO 2015


 
© 2002 - 2010 - Prisma - Todos os direitos reservados | Informações: Tel 3337 5633 | E-mail: prisma@portalprisma.com.br